quinta-feira, 21 de julho de 2016

quarta-feira, 20 de julho de 2016

terça-feira, 12 de julho de 2016

A branca catedral de Nampula








































A catedral de Nampula - projecto do arquitecto Raul Lino - ficava mesmo em frente ao hotel; não houve tempo para a visitar por dentro, mas pedi ao motorista para esperar um pouco porque achei que merecia um "retrato".

A viagem para a Ilha

Depois de uma semana de trabalho em Maputo seguiu-se uma pequena viagem que me levou a um lugar que era um desejo que não pensava que pudesse concretizar: a Ilha de Moçambique. Conhecia-a de relatos e de imagens que tinham despertado a curiosidade e o desejo de um dia poder vir a visitá-la. Em Lisboa tinham-me dito que esta não era a melhor altura para fazer a viagem por causa do clima de instabilidade que se instalou novamente em várias zonas do país, que o trajecto por estrada entre Nampula e a Ilha poderia representar algum perigo. Por isso, tinha desistido da ideia. Mas em Maputo asseguraram que não havia perigo algum naquela zona e que era um disparate não aproveitar a oportunidade e não ir visitar a Ilha. E assim foi. Na sexta ao fim da tarde apanhei o avião para Nampula, onde dormi, e no sábado de manhã muito cedo lá estava o carro à espera para duas horas de viagem que me levariam à Ilha. Foi uma viagem muito agradável: estrada boa, condutor simpático e falador e uma paisagem natural cheia de encantos. Pelo caminho, ao longo da estrada  foram-se sucedendo aldeias que a velocidade do carro apenas deixou vislumbrar pela janela. As imagens que ficaram são por isso menos boas, são apenas pequenos e fugazes registos que, contudo, quero partilhar aqui.

sábado, 9 de julho de 2016

quinta-feira, 30 de junho de 2016

domingo, 26 de junho de 2016

quarta-feira, 22 de junho de 2016

quinta-feira, 16 de junho de 2016

terça-feira, 14 de junho de 2016

o leão que ri #3




o leão que ri #2

As imagens anteriores não são muito boas, mas dão para ver como era o edifício que Pancho Guedes baptizou como "O leão que ri" logo após a sua construção. Actualmente está um pouco diferente.... Seguem-se algumas imagens do seu estado actual. Apesar de degradado continua a ser um "leão" luminoso!

o leão que ri



sexta-feira, 10 de junho de 2016

arquitecturas de Maputo: o prédio do dragão




arquitecturas de Maputo: o prédio do dragão





arquitcturas de Maputo : Pancho Guedes


Já em posts anteriores falei do arquitecto, mas também escultor e pintor Amâncio "Pancho" Guedes (1925-2015). Nascido em Portugal, Pancho Guedes viveu parte da sua vida em Moçambique e foi em África (para além de Moçambique, projectou edifícios em Angola e na África do Sul) que desenvolveu a maior parte da sua actividade profissional. Os seus projectos arquitectónicos têm um carácter original, inovador e mesmo exuberante: Pancho Guedes utilizou neles materiais que se adaptavam às condições locais, escolheu formas e cores que se relacionavam não só com a paisagem envolvente, como também com as expressões artísticas africanas. Desta vez tive a oportunidade de ver outros edifícios que ainda existem em Maputo da autoria de Pancho Guedes. Ficam aqui registos dos prédios do dragão e do leão que ri, onde as características da sua arquitectura são bem evidentes.